Tendências de Marketing Digital para 2018 | Ivo Pontes - Marketing Digital
1808
single,single-post,postid-1808,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Tendências Marketing Digital 2018

Tendências Marketing Digital 2018

 Tendências de Marketing Digital 2018

Tivemos a sorte de ter acompanhado de perto as principais mudanças no marketing e tecnologia digital nos últimos 10 anos. Seguimos e atuamos constantemente sobre essas mudanças. Em retrospectiva, assistimos a um crescimento significativo da pesquisa orgânica e paga, depois as redes sociais, e mais recentemente, o uso de dispositivos móveis particularmente na utilização de smartphones.

Novas tendências estão entrar no mercado, pelo que precisamos de prestar atenção. Com a necessidade de se tornar mais visível e alcançar mais clientes, o marketing digital do futuro terá de andar de mãos dadas com as tecnologias emergentes, uma vez que os consumidores exigem uma experiência mais integrada.

Neste artigo, analisaremos as novas tendências que, acreditamos, com base na nossa experiência, que sejam as mais relevantes para a generalidade das empresas.

Qual a tendência de marketing mais importante para si e sua empresa em 2018? Responda no nosso post sobre tendências de marketing digital para 2018 e veja as respostas de outras pessoas como você.

Receba dicas para melhorar o seu negócio. Subscreva a newsletter aqui!

1# Video marketing

Nada nas redes sociais funciona melhor que um bom vídeo. Se não está ainda convencido do poder que o vídeo exerce através da internet, veja as estatísticas:

Há uma grande variedade de formatos de vídeo, desde vídeos de 360 graus até emissões ao vivo. Isto oferece-nos uma grande flexibilidade quando se trata de desenvolver campanhas de vídeo. Uma coisa a ter em mente no entanto, é que os smartphones vêm em primeiro lugar. Afinal, 60% das visualizações de vídeo do YouTube têm origem em dispositivos móveis.

Por aqui, estamos a preparar os nossos clientes para aumentar os orçamentos para que nos possamos concentrar mais no conteúdo de vídeo nos próximos meses. Prepare-se também!

Veja por exemplo, o vídeo simples que criámos para promover este artigo.

 

2# Publicidade nativa

Espera-se que os anúncios nativos detenham uma percentagem significativa das receitas publicitárias num futuro muito próximo.

Com uma colocação e formatação mais natural, os anúncios nativos tendem a obter mais exposição e mais envolvimento do que os anúncios tradicionais. O único problema é que a publicidade nativa requer uma abordagem fundamentalmente diferente.

A publicidade nativa é um tipo de publicidade, que em muitos casos, manifesta-se como um artigo ou vídeo e a palavra “nativo” refere-se à coerência do conteúdo. Pelo contrário, um anúncio tradicional distingue-se notoriamente do restante conteúdo. Em vez de colocar o produto dentro do conteúdo, no marketing nativo o produto e o conteúdo são um só, desviando a tenção dos consumidor do facto de que está olhando para um anúncio.

3# Influenciadores

Atualmente, as vantagens do marketing de influenciadores estão bem estabelecidas. É por isso que os profissionais de marketing que estão atentos as estas questões devem esperar um ambiente bastante competitivo se quiserem trabalhar com os principais influenciadores de marca este ano.

Uma das práticas de marketing de influenciadores, por parte do sector hoteleiro, será convidar bloggers focados no turismo para experienciar a sua oferta, contudo nem todos os hoteleiros ficarão entusiasmados com esta perspectiva, sendo que, esta prática poderá ter o efeito contrário.

Dica: Procure desenvolver mais relacionamentos de longo prazo com os principais influenciadores da sua indústria em 2018.

Outro avanço chave na estratégia de marketing de influenciadores este ano, será a autenticidade. Os consumidores podem facilmente detetar as colaborações da marca influenciadora que parecem forçadas, razão pela qual as marcas experientes se concentrarão na construção de relacionamentos genuínos.

O marketing de influenciadores como estratégia tem crescido em popularidade nos últimos anos, neste sentido, novos e diferentes tipos de marcas estão a tomar conhecimento e a colocar este tipo de estratégia em ação. De acordo com a Inc.com, 84% dos profissionais de marketing planearam executar pelo menos uma campanha de marketing de influenciadores durante 2017.

Desde sempre, as marcas de roupa e beleza têm alcançado grande sucesso com o uso de micro influenciadores e celebridades, agora é a sua vez de entrar em ação.

Evidentemente, os consumidores também são uma parte essencial do marketing de influenciadores. As marcas continuarão a oferecer aos seus clientes existentes a oportunidade de sugerir os seus produtos. O conteúdo gerado por consumidores permite que as marcas façam dos consumidores parte da sua história e da experiência do próprio consumidor.

A Amazon, por exemplo, adicionou recentemente uma ferramenta para influenciadores de redes sociais ao seu programa de influenciadores. O programa dá-lhes a oportunidade de construir uma página na Amazon com um URL de vaidade dedicado para mostrar aos seus seguidores os produtos que eles recomendam.

Os consumidores, especialmente os mais jovens, preferem conteúdo percebido como “menos encenado” e mais natural. Conteúdo subtil patrocinado que parece orgânico, promovido por influenciadores é extremamente eficaz.

4# Chatbots

2018 será o ano em que as marcas precisam de começar a pensar em bots nas redes sociais. Os chatbots existem no meio há muito tempo, contudo só em anos recentes é que foram introduzidas melhorias significativas em termos de inteligência artificial.

Enquanto lê este artigo as marcas estão a trabalhar no uso de chatbots para suporte ao cliente e aperfeiçoando sua  integração na estratégia de marketing.

Os chatbots são usados principalmente para apoio ao cliente, em 61% das interações do consumidor-chatbot são centradas em questões relacionadas com apoio ao cliente.

O futuro dos bots promete ser bem-sucedido, com uma estimativa de 85% das interações dos consumidores geridas por chatbots até 2020. É apenas uma questão de tempo até que assistentes movidos a inteligência artificial se tornem o novo normal.

5# Storytelling

Com sua crescente popularidade, as “histórias” das redes sociais serão impossíveis de ignorar em 2018. O formato lançado pelo Snapchat, tornou-se um elemento básico do mundo das redes sociais.

Primeiro o Instagram criou Instagram Stories, e agora o YouTube lançou um formato semelhante para competir com os seus pares. Cada um oferece características únicas e apresentação, mas todos seguem o mesmo conceito.

As “histórias” capturam os melhores momentos e a maioria desaparece após um período de tempo. Sua natureza temporária cria uma sensação de FOMO (Fear Of Missing Out) para os utilizadores que não os verificam antes de desaparecerem. Esta ansiedade social é caracterizada por um desejo de permanecer continuamente conectado com o que os outros estão a fazer.

FOMO é também é definido como um medo de arrependimento, o que pode levar a uma preocupação compulsiva de que se possa perder uma oportunidade de interação social, uma experiência inovadora, um investimento rentável ou outros eventos satisfatórios.

Agora sem a psicologia e numa lógica mais inofensiva, as “histórias” são apenas uma maneira divertida e interessante de apresentar conteúdo de vídeo.

Certamente será um grande ano para as “histórias”. Está na hora de pensar nelas como parte fundamental da sua estratégia de marketing social. Saiba mais sobre storytelling.

6# Privacidade

A proteção da privacidade dos consumidores será uma prioridade em todo o mundo. Com o início de novos regulamentos de privacidade, as marcas que vendem para clientes na Europa e além devem estar preparadas para cumprir as novas leis.

O novo Regulamento Europeu Geral de Proteção de Dados (GDPR), em particular, irá redefinir o que a privacidade online significa para todas as organizações, nomeadamente sobre restrições e como os dados deverão ser coletados e usados para iniciativas de marketing.

Em 2018 os consumidores terão como preferência, marcas que colocam a segurança da sua informação em primeiro lugar, já que os ataques à informação sensível continuam a ser comuns e os consumidores inteligentes começarão a olhar para proteção de privacidade e a segurança de dados como uma proposta de valor em todas as indústrias e ofertas de produtos e serviços.

7# Bloqueadores de anúncios

Algo como 63% dos Millennials usa bloqueadores de anúncios, pelo que deve estar preparado para direccionar o seu orçamento para trabalhar em torno da tecnologia de bloqueio de anúncios. Para o efeito terá de obter mais informações sobre os hábitos de consumo digital dos seus clientes.

Uma maneira de iniciar seria realizar estudos no sentido de determinar se as estratégias de anúncios existentes são eficazes ou não. Soluções alternativas incluem uma boa gestão de redes sociais, páginas de conteúdo como blog posts e marketing de influenciadores como mencionado neste artigo. Abraçar estas práticas pode ser a sua melhor aposta para contornar os bloqueadores de anúncios.

Publicidade em redes como Facebook e Google é uma obrigação, contudo o Google já filtra anúncios considerados irritantes para os utilizadores da web, portanto deverá fazer uma auditoria para saber quais os esforços que não estão a alcançar os seus públicos-alvo.

Os relacionamentos com os clientes provavelmente melhorarão à medida que os anúncios irritantes sejam eliminados em favor de uma comunicação mais rica e atrativa, eliminando anúncios disruptivos que dificultam as experiências online.

8# Integração de aplicações de mensagens

O crescente uso de aplicações de mensagens é uma tendência que não podemos ignorar. De acordo com a mais recente pesquisa de mercado da Ofcom Communications, mais de metade da audiência móvel utilizou o Facebook Messenger (61%) e metade utilizou o WhatsApp (50%). É de notar, que ambas as marcas são propriedade do Facebook.

O que é que isto quer dizer? Que as pessoas estão viciadas como sempre estiveram desde há 20 anos, em enviar mensagens.

Porque não integrar um meio de comunicação tão popular no seu marketing digital?

9# Percurso do consumidor

Compreender qual o percurso do consumidor digital a partir do momento que toma a decisão de pesquisa ou é impactado pela sua comunicação e inicia um trajeto, até a conversão.

O marketing direcionado por dados é uma ferramenta poderosa, portanto é importante determinar como os dados nos podem ajudar nesse sentido, ou seja, para saber onde os consumidores estarão em cada etapa do seu percurso digital.

10# Personalização do percurso do consumidor

Para aumentar a relevância e a eficiência das comunicações, a personalização de sites tem sido amplamente utilizada nos setores de comércio eletrónico como a Amazon, Booking e empresas de serviços financeiros há muito tempo.

Por exemplo, para os nossos clientes imobiliários, encontrámos formas de oferecer produtos altamente personalizados através de listas específicas de imóveis e anúncios de remarketing no Google e Facebook.

Através do comportamento dos seus clientes consegue recomendar produtos com base nas suas preferências. Na origem desta experiência está a personalização do site.

Existem várias formas de personalização aplicáveis em vários contextos.

Qual a tendência de marketing mais importante para si e sua empresa em 2018? Responda no nosso post sobre tendências de marketing digital para 2018 e veja as respostas de outras pessoas como você.