Tendências Marketing Digital 2020 - Ivo Pontes - Marketing Digital
2470
single,single-post,postid-2470,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Tendências Marketing Digital 2020

Tendências Marketing Digital 2020

tendencias-de-marketing-digital-2020

Uma nova década carrega o peso da mudança e 2020 não vai desiludir no que toca às novas tendências do marketing digital.

Numa época em que nos debatemos com a necessidade de automatizar as campanhas e simultaneamente torná-las mais pessoais, humanizando-as, vivemos um verdadeiro paradoxo.

Desde a substituição dos influenciadores pelos micro e nano-influencers à pesquisa por voz, neste artigo pode conhecer as principais tendências no marketing digital em 2020.

Receba dicas para melhorar o seu negócio. Subscreva a newsletter aqui!
 

1# Emails mais interativos

Os emails interativos já são uma realidade e vão ter cada vez mais peso na presença digital das marcas.

As newsletters e os emails simples estão a perder terreno devido ao surgimento de emails cada vez mais funcionais que se assemelham a autênticas páginas de internet, podendo incluir vídeos e utilizando cada vez mais a inteligência artificial.

O AMP for Gmail é uma nova ferramenta da Google que pretende dar resposta a essa necessidade de as empresas tornarem os seus emails mais interativos, onde os recetores podem saber mais sobre o produto e até mesmo efetuar a compra sem sair da caixa de entrada do seu correio eletrónico.
 

2# Micro-influencers e nano-influencers

Cada vez mais os utilizadores perdem a confiança nos influencers e celebridades por estes não serem muitas vezes honestos relativamente a alguns produtos.

O consumidor tende a ter maior confiança em pessoas mais próximas, como familiares ou amigos. Desta forma, surgem os micro-influencers e nano-influencers que ao partilhar as marcas lhes dão mais credibilidade.

Enquanto os influencers cobram taxas muito altas pela publicidade, os micro-influencers tendem a ter menos custos associados aliados a uma maior taxa de engadgement, estando mais próximos dos seus seguidores.
 

3# Comércio social (shoppable posts)

Anteriormente, apesar da divulgação dos artigos e serviços nas redes sociais, os utilizadores precisavam de deixar a aplicação e entrar no site. Com o Comércio Social, os utilizadores podem agora realizar a compra diretamente através da publicação ou anúncio.

Apesar de esta realidade não ser uma novidade, tendo sindo introduzido em 2005 pela Yahoo, tem ganho cada vez mais relevância e a tendência é ser cada vez mais usada.

Imagine o quão fácil seria ver uma publicação de um ídolo seu onde este recomenda um livro e, através da publicação, conseguir efetuar a compra no seu telemóvel numa questão de minutos ou até mesmo segundos.

Se tivesse de abrir o site da empresa noutro separador ou envolvesse mais passos o mais provável seria deixar a compra para mais tarde e eventualmente esquecer-se-ia ou acabaria por comprar com outra empresa.

A diminuição dos passos necessários para a realização da compra e simplificação do processo torna a experiência do consumidor mais agradável e diminui a probabilidade de este abandonar a compra.
 

4# Pesquisa por voz

A ComScore previu que 50% das pesquisas online feitas em 2020 seriam por voz e podem não estar tão longe da verdade.

São assistentes pessoais como a Siri da Apple, a Alexa da Amazon ou a Cortana da Microsoft que nos introduziram a pesquisa por voz e que a têm ajudado a ganhar terreno no mercado.

As pesquisas por voz têm vindo a aumentar e as empresas podem agora transformar por completo a experiência dos consumidores de adaptando os seus catálogos de produtos a esta realidade.

Desta forma aceleram e simplificam o processo, tornando possível efetuar uma compra somente através de comandos de voz.

Foram empresas como a Blutag e Jetson que tornaram isto possível, permitindo às marcas a personalização da experiência de pesquisa por voz, adaptando-a às necessidades do cliente e aos interesses da própria marca.
 

5# Plataformas alternativas

Os utilizadores tendem a fugir das tradicionais redes sociais e procurar novas opções devido à presença excessiva das marcas nestas aplicações.

Assim emergem novas alternativas, algumas já existentes ganham relevância como é o caso do Pinterest e TikTok, outras são criadas para dar resposta às necessidades como a aplicação Peoople.

Estes novos meios de comunicação digital vêm exigir às marcas que se adaptem à nova realidade e a um universo completamente diferente.

Desta forma fica claro que só sobrevive no mundo digital quem tem a capacidade de se adaptar às constantes mudanças que são apresentadas.
 

6# Mensagens diretas

As mensagens pessoais têm ganho importância para os consumidores que procuram cada vez mais respostas rápidas por parte das marcas.

Utilizar as redes sociais para Serviço ao Cliente aproxima o possível consumidor da empresa tornando todo o processo da conversão mais pessoal.

A Fashion Nova é o exemplo perfeito de como comunicar diretamente com o cliente ajuda na construção de relações, através do envio de cupões exclusivos e personalizados aos gostos de cada cliente e de lembretes para terminar a compra no site onde o cliente deixou artigos no carrinho.
 

7# Análise de sentimentos

Saber o que os outros estão a sentir sempre intrigou o ser humano.

O conhecimento dos sentimentos dos consumidores permite à marca saber a opinião que estes têm dos seus produtos e ajustar a sua estratégia de marketing digital à mesma.

Já existem aplicações que servem para categorizar os comentários dos seguidores como positivos ou negativos, contudo as emoções humanas são muito mais complexas.

A analise às reações dos consumidores aos produtos já era uma importante ferramenta de marketing, porém as novas tecnologias vão permitir levar esta análise para outro nível e desta forma aumentar a aquisição e satisfação dos clientes.